Serviços

10/01/2013 - 08:30

Cinema, exposições, música e outras manifestações artísticas integram a programação comemorativa aos 397 anos de fundação de Belém, promovida pelo governo do Estado no próximo sábado (12). Os eventos, com entrada franca, serão realizados pela Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN), Instituto de Artes do Pará (IAP), Organização Social Pará 2000 (que gerencia a Estação das Docas e o Mangal das Garças), e Secretaria de Estado de Cultura (Secult), por meio do Sistema Integrado de Museus e Memoriais (SIM).

Um dos presentes oferecidos à população da capital paraense será o repasse ao acervo do Museu de Arte Sacra (MAS) de duas esculturas barrocas, uma de Nossa Senhora da Conceição e outra de Nossa Senhora do Rosário, ambas do século XVIII. Uma gravura do pintor italiano Guiseppe Leone Righini, adquirida em Londres (Inglaterra), vai compor o acervo da Galeria Fidanza. A entrega das obras será no dia 12, a partir das 09h30, após uma celebração na Igreja de Santo Alexandre.

No Forte do Presépio, marco da fundação de Belém pelo capitão português Francisco Caldeira Castelo Branco, acontecerá o tradicional disparo de canhões, às 10h30, com apoio do Exército.

Sétima arte - O Museu da Imagem e do Som (MIS), que também funciona no Complexo Feliz Lusitânia, participa da programação com o lançamento do “Cine Osga – Cinema de Parede”, que projetará no paredão da Casa das Onze Janelas uma mostra de cinema em homenagem à cidade. Serão exibidos, a partir da 19h, os filmes “Invisíveis Prazeres do Cotidiano”, da cineasta paraense Jorane Castro; “Enquanto Chove”, de Alberto Bitar e Paulo Almeida, e “Belém 350 anos”, de Líbero Luxardo.

Às 20h, haverá shows da cantora Lia Soares e do violonista Salomão Habib. Após participar do programaThe Voice Brasil, Lia Soares se apresentará pela primeira vez no Theatro da Paz, com o show “Lia Soares – Um presente para Belém”. O repertório terá canções próprias e obras que homenageiam Belém. O show é gratuito, e os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro, a partir das 09h de sábado.

Na Sala das Artes do Palácio Lauro Sodré, onde funciona o Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP), o violonista Salomão Habib apresentará o “Concerto Equatorial: Belém 397 anos”, elaborado especialmente para a data. No concerto haverá carimbó, música indígena transcrita para a linguagem erudita e obras de Tó Teixeira, Waldemar Henrique e Sebastião Tapajós.

Reinauguração - A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves aproveita a data para reinaugurar o Cine Líbero Luxardo, com uma programação gratuita a partir das 19h. Serão exibidos os filmes “Vernissage...” (2006), “Visagem” (2006), “Chupa-chupa: a história que veio do céu” (2007) e “Juliana contra o Jambeiro do Diabo pelo coração de João Batista” (2012), todos de autoria do paraense Roger Elarrat.

“Juliana contra o Jambeiro do Diabo pelo coração de João Batista” recebeu em 2012 o prêmio de Melhor Curta pelo Júri Popular, no Amazônia Doc 4. A programação prossegue no domingo (13), no mesmo horário, com a exibição do filme “Miguel Miguel” (2010) e a reapresentação de “Juliana contra do Jambeiro do Diabo pelo coração de João Batista”.

O Cine Líbero Luxardo foi reformado no ano passado, e agora dispõe de melhor estrutura, como novo sistema de refrigeração, implantação de piso acústico, reforma do palco, reforma das poltronas, pintura e revisão da rede elétrica e do telhado.

Memória - Na Estação das Docas estará a exposição "Belém da Memória", com 35 imagens e textos contando parte da história da capital paraense. A mostra será aberta no sábado, a partir das 10h, no Armazém 2, e poderá ser visitada até 28 de fevereiro, das 10h às 18h. O projeto foi implantado em 1999, pelo Núcleo Cultural Casa da Memória, da Universidade da Amazônia (Unama).

Ainda no sábado, a partir das 17h, o Boi Veludinho e o Balé Folclórico da Amazônia (BFAM) farão uma programação especial, inspirada no folclore amazônico. O cortejo pela orla do Armazém 3 terá à frente o Boi Veludinho e os personagens “cabeçudos” e “mascarados”, acompanhados pela banda de fanfarra, que fará uma prévia do Carnaval.

Em seguida, o Balé Folclórico da Amazônia mostrará coreografias inspiradas em obras de compositores da região, incluindo ritmos como guitarrada, carimbó, lundu e merengue. O grupo é composto por 35 integrantes, distribuídos entre músicos e dançarinos.

A Praça Santuário, em frente à Basílica de Nazaré, no dia 12, será aberta ao público com uma programação cultural. O Instituto de Artes do Pará (IAP), em parceria com a Prefeitura de Belém, representada pelo ProPaz Cidadania e Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), apresentará o projeto “Amarte Belém”, a partir das 18h. Haverá apresentações da banda da Guarda Municipal de Belém, regida por Carlos Eduardo Lima, e da banda sinfônica do Colégio Lauro Sodré, regida por Silas Borges.

Em seguida, a Escola de Dança Clara Pinto mostrará a coreografia “Ama Belém”. Depois será a vez da Companhia de Dança Cabana apresentar o espetáculo “Subúrbios”. A Companhia de Dança Ana Unger será outra atração da noite, com o espetáculo “Ritmos do Pará”, já apresentado em turnês nacionais e internacionais. A banda Warilou encerrará a programação.

O IAP ainda levará aos distritos de Icoaraci e Mosqueiro uma mostra de cinema ao ar livre, a partir das 19h. Em parceria com o Cine Jornal Líbero Luxardo e o Museu da Imagem e do Som, serão exibidos os curtas “Pássaros Andarilhos” e “Boi Voadores”, de Luiz Arnaldo Campos; “Manga Belém”, de Suelen Pavão; “Enquanto Chove”, de Alberto Bitar e Paulo Almeida, e “Belém anos 80”, com comentários de Allan Kardec.